sábado, 31 de março de 2012

Quer mais motivação?

Olá!

Tenho visto muitas organizações adotando certos "mantras" ou jargões motivarescos, a fim de tentar trazer à tona a importância do engajamento de todos.

Usam ditos corporativos como "agir como dono do negócio", ou "vestir a camisa da empresa" que circulam pelos corredores e nos auditórios de treinamentos, proferidos por chefes ou por palestrantes contratados como verdadeiros "mensageiros" da motivação e comprometimento.

A fim de encontrarem o santo graal da motivação, utilizam dos mais curiosos expedientes, tentando doutrinar os funcionários para que se "doem" mais, para que sejam mais comprometidos com a empresa.
Já vi e ouvi barbaridades que vão das clássicas reuniões em hotéis para palestras ou verdadeiras "missas corporativas", onde há distribuição de brindes, camisas personalizadas, mensagens de diretores uniformizados até a caminhadas sobre brasa, stand up comedy, paint ball, simulações de guerra e tantos outras estratégias criativas.

Em geral a cena é esta: alguém dá uma de gerente ou de diretor e percebe que os resultados deveriam ser melhores e conclui que a causa é a desmotivação da turma.
O sabidão ou sabidona então decide que precisam fazer algo para elevar o comprometimento dos desmotivados da empresa.
Procuram um palestrante, desses que estão na moda, em geral, nunca estiveram dentro de um escritório ou fábrica, mas possuem discursos inflamados e carismáticos valiosos para o momento, e é claro, devidamente preparados com recados já embutidos pelo contratante. Criam algum programa motivacional interno, escolhem as pessoas chave e realizam a atividade.
Os ritos da atividade, em geral, são ótimos e trazem um resultado: as pessoas interagem, brincam, riem muito, se abraçam, choram, e, voltam para casa encantadas com seus limites e com muitas fotos para mostrar...
No dia seguinte, estão todos na empresa rindo, alegres, festivos. Tudo continua dando errado, mas a diferença é que agora estão mais alegres...

Táticas de motivação assim acabam sendo um desperdício de tempo e dinheiro. Pois as reais causas dos problemas não foram tratadas. Muitas vezes são simples modificações nos processos como: reprogramações de trabalho, movimentações entre equipes ou ajustes de etapas, que trazem importantes melhoras. Mas aqui, neste post, quero destacar uma: a mudança de atitude da liderança.

Assim, antes de decidir por atividades motivacionais como as que mencionei acima, a liderança deveria se perguntar: "Será que o problema não sou eu?", ou "O que eu, como líder, preciso fazer para mudar?", ou "Qual a minha responsabilidade por este comportamento na minha equipe?".

Perguntas como essas podem ajudar a conhecer as reais causas e agir com maior assertividade.

Uma dica: existe um genial programa chamado "Undercover boss", da FoxLife americana (http://foxlife.com.br/br/programas/undercover-boss/), onde o presidente da empresa passa dias disfarçado entre os funcionários, atuando como um trabalhador comum. Nesta ação, passa a ouvir, sente na pele o que eles sentem, sofre com eles, percebe o que os aflige e, acima de tudo, passa a respeitar e ter maior atenção pelo seu time.
Vê que tem pessoas altamente comprometidas e que muitas vezes são esquecidas por seus chefes. Conhece iniciativas incríveis que são bloqueadas por uma supervisão despreparada, ou que pessoas estão sofrendo por problemas simples, que suas soluções seriam muito mais baratas que qualquer final de semana em um resort.

Será que se você pudesse andar pela empresa, sem que as pessoas te conhecessem, você perceberia tal realidade? A realidade crua e verdadeira como ela é.
Será que você teria a humildade de encarar que precisa mudar? E ser o agente das mudanças?

Será que você conhece plenamente o que as pessoas fazem na sua empresa ou área?

Tenho certeza de que se você investir um pouco de seu tempo para estar com as pessoas, sentindo na pele o que elas sentem, o engajamento, o comprometimento e outros comportamentos valiosos emergirão na equipe e você verá a sua liderança em prática.

Se você acredita que pode ser diferente, que há um jeito melhor de se conquistar o coração das pessoas para que trabalhem felizes, compartilhe conosco nos seus comentários.

Forte abraço.



Forte abraço.

4 comentários:

  1. Muito bom e importante. Em uma empresa de grande porte existe um mundo de ideias que ficam no "filtro" absoluto dos chefes e com isso quem perde é a corporação. A montagem de um banco de ideias em uma empresa certamente ajudaria em muitas mudanças de estrategias dentro do negocio e acabaria com os famoso jargão "SEMPRE FOI ASSIM" Forte abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá Cordeiro, obrigado por compartilhar e comentar!
    Concordo contigo, precisamos de mais ação na liderança. Liderança é ação de coletivo e portanto, saber perceber muito bem o que está acontecendo. Muitas inovações podem ser potencializadas se o líder estiver de olhos e ouvidos atentos.

    Forte abraço.

    Rodrigo

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Obrigado Danilo! Fico feliz que tenha gostado. Abraços

      Excluir